Contratos Digitais: Como realizar mais negócios gastando menos e faturando mais.

Na cultura brasileira, é comum que poucos brasileiros contratem advogados para revisão de documentos. Mesmo em transações de alto valor envolvido, ainda assim, assinam muitas vezes sem entender os riscos que estão sendo assumidos. E rezam para correr tudo bem ao longo da vigência de uma relação jurídica.

Contratos no âmbito empresarial

No universo empresarial, verificam-se ainda diversas estruturas artesanais de fluxo de contratação, tramitando ainda em ambiente físico. Surpreendentemente, até em multinacionais com certificação de ISO para alguns departamentos, mas com pouquíssima atenção em se tratando das atividades relacionadas aos contratos.

Ocorre que se a sua empresa continua com caixas de papelão para armazenar contratos. Ainda utiliza motoboys e office boys para transitar documentos e faz uso do cartório para reconhecer firma de todo e qualquer documento. Dessa forma, certamente, está perdendo dinheiro, em razão do baixo nível de maturidade na gestão por processos de negócio.

Transformação Digital

O processo de digital transformation é a alternativa mais eficaz para o aprimoramento e definição dos processos internos relacionados aos contratos. Já comprovado através de indicadores de desempenho no que concerne a redução de custo operacional. A redução de extravio de documentos e a agilidade no processo de fechamento de negócios com clientes e fornecedores.

Cumpre destacar também os estudos do Professor Nicholas Christakis de Harvard. Adaptados ao ambiente de negócios pela norte americana Activate Networks. O estudo verificou que o departamento interno que mais alcançou resultados (KPIs): foi aquele que melhor se relacionou com outros departamentos. Melhorando a comunicação interna e/ou com stakeholders em geral, a partir de processos internos bem definidos. Ressalta-se aqui que fazer isso em ambiente digital é muito mais fácil.

Papel do Advogado

Não obstante, os empresários e os colaboradores julgam que nunca estão preparados para essa mudança para o digital. Ademais, são pouco ou mal orientados pelos seus advogados, os quais desconhecem as novas tecnologias e/ou sequer se atualizam em relação as jurisprudências relacionadas aos contratos digitais e assinaturas em ambiente eletrônico.

A Lexis Nexis apresentou em estudo que o advogado transmite muita confiança como consultor ou conselheiro. Portanto, é ele quem deveria auxiliar as empresas nesse processo de gestão da mudança para o digital, mesmo que conjuntamente com especialistas de T.I.

Necessário, portanto, um mindset de advogado 2.0, que não diga apenas um: “NÃO, SÓ NO CARTÓRIO É QUE SE PODE REGISTRAR DOCUMENTOS”, mas com uma visão holística de negócios. Em resumo, que lhe permita apresentar as alternativas ao seu cliente. Elencando os riscos, recomendando um workflow digital, estabelecendo alçadas para assinaturas eletrônicas e indicação de soluções tecnológicas de ponta para as empresas (Contract Lifecycle Management).

Afinal de contas, as assinaturas digitais têm validade e eficácia jurídica. Todavia, possibilitando a verificação de autenticidade e até mesmo respaldando as ações de execução no judiciário. Desde que assinado também por duas testemunhas, pois há uma marcação temporal para obtenção de provas irrefutáveis de autoria, aquisição de direitos/obrigações e propriedade.

Para saber mais sobre Assinatura Digital e Assinatura Eletrônica, clique aqui.

por Henrique Flores
Sócio-Fundador e CEO na Contraktor