Antes de mais nada, 2020 foi um ano que ficou para a história. Os impactos gerados ficarão para sempre marcados em nossas vidas, principalmente no que diz respeito à saúde em geral. O que antes era planejado para ser aplicado a longo prazo, teve que ser acelerado e acontecer o quanto antes. É o caso da telemedicina, que surgiu como solução pela urgência do cenário em que o sistema de saúde se encontrava, por conta do Covid-19. 

Atualmente, muito se fala sobre a transformação digital na área da saúde, e em como isso impacta a vida das pessoas. Existe até um termo para isso – Saúde 5.0. Mas a tecnologia, neste caso, vai muito além dos equipamentos de ponta para atender aos pacientes. Na telemedicina, a tecnologia está presente desde o primeiro contato do médico com o paciente, já que tudo é feito de maneira virtual. Será que a era digital na medicina chegou para ficar?

Neste artigo, você verá os seguintes conteúdos:

  • O que é telemedicina?
  • Principais vantagens da telemedicina
  • O uso da assinatura digital na telemedicina
telemedicina e assinatura digital 1

O que é telemedicina?

A telemedicina é a prática médica feita à distância, a partir do uso da tecnologia. É regulamentada pela Lei 13.989 de 15/04/2020, que dispõe sobre o uso emergencial da telemedicina durante a crise causada pelo coronavírus (SARS-CoV-2). 

Em outras palavras, a telemedicina aplicada neste período da pandemia visa, principalmente, diminuir o deslocamento de pacientes e profissionais da saúde até clínicas, hospitais e outras unidades de saúde, o que evita as aglomerações.

Com os hospitais cheios, é quase que um movimento natural que as pessoas passem a procurar novas soluções para os problemas de saúde. Mas ainda existe certa resistência: um dos maiores desafios dessa nova realidade é mobilizar os pacientes em direção a essas novas tecnologias e, ao mesmo tempo, proteger os dados dos profissionais de saúde. Mas o que poucos sabem é que a telemedicina e as assinaturas digitais (que são utilizadas pelos médicos), são práticas totalmente seguras. A segurança é uma das principais vantagens nesse caso!

Principais vantagens da telemedicina

Segundo dados da Câmara de Deputados, o governo federal gastou R$ 38,2 bilhões até o dia 20 de outubro de 2020 em ações de saúde voltadas ao combate da pandemia. Fica claro que os gastos com a saúde são altos. Então, por que não procurar por soluções que reduzam custos?

A telemedicina possui diversas vantagens, mas vamos apontar as principais:

Segurança

Por não ter o uso de documentos impressos e necessidade de armazená-los em algum espaço físico, a telemedicina garante mais segurança a esses documentos, pois ficam armazenados em nuvem. Além disso, o uso da assinatura digital para médicos é um método que possui protocolos de segurança de alto nível. A assinatura digital utiliza criptografia e outras características técnicas para certificar a segurança, integridade e autenticidade dos documentos eletrônicos.

Redução de custos

A utilização de documentos eletrônicos reduz custos na medicina, pois não é necessário imprimir estes documentos médicos. Com isso, não há gastos com impressão e também não há a necessidade de uma grande infraestrutura e nem de logística para armazenar esses arquivos. Tudo pode ser consultado de forma 100% online! Além disso, outra vantagem em relação à redução de custos é que não é preciso manter um corpo clínico disponível em tempo integral. 

Otimização de tempo

Além de evitar deslocamentos desnecessários, tanto dos pacientes quanto dos profissionais de saúde, a telemedicina otimiza o tempo no sentido de trazer menos burocracia, até mesmo no acesso aos exames. O próprio médico tem a possibilidade de fazer laudos à distância, agilizando a entrega; no caso de assinaturas, é possível assinar digitalmente e coletar assinaturas de pacientes, quando necessário, de maneira totalmente digital.

Falando em assinar documentos digitalmente…

telemedicina e assinatura digital 2

O uso da assinatura digital na telemedicina

Os profissionais da saúde e administradores do setor tiveram que fazer mudanças drásticas em suas rotinas, e isso inclui o uso da assinatura digital na telemedicina. 

Para emitir receitas, por exemplo, o médico precisa ter uma assinatura digital no padrão da ICP-Brasil; ou seja, é necessário ter um certificado digital para poder assinar estes documentos. 

O certificado digital funciona como se fosse um CPF ou CNPJ do meio digital, servindo para assegurar a autenticidade, ou seja, para identificar a pessoa que está assinando de maneira incontestável.

A assinatura digital para médicos também serve para que estes profissionais possam assinar prontuários, laudos, atestados e relatórios, por exemplo. Vale relembrar que a assinatura digital é uma tecnologia segura e que garante a validade jurídica do documento assinado. 

Além dos dados do signatário (como CPF, e-mail e nome), para assinar um documento médico é preciso seguir as normas estabelecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), Conselho Federal de Farmácia (CFF) e Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI). Assim, é necessário inserir dados como o número do registro médico, especialidade do profissional, tipo de documento médico e UF de registro profissional. 

Leia também: Como a Lei 14.063/20 afeta o setor da saúde?

Caso você precise assinar documentos digitalmente com o uso do certificado digital, validade jurídica e segurança, conheça os planos disponíveis da Contraktor!

Posts relacionados

Contraktor Tecnologia Ltda

Av. Visconde de Guarapuava, 3263
CEP: 80010-100 | Curitiba – PR

Contraktor © 2021 – Todos os direitos reservados